Doenças respiratórias, quais as principais e como preveni-las?

Doenças respiratórias, quais as principais e como preveni-las?
31 jul 2017

Respirar é um ato fundamental para qualquer ser. É através da respiração que ocorrem as trocas gasosas de nosso corpo, onde eliminamos toxinas, geramos energia e damos a base para todas as reações fisiológicas do corpo. Mas e quando há problemas respiratórios? As temíveis doenças respiratórias? Nossa qualidade de vida e até sobrevivência, se tornam ameaçadas.

Por isso, é preciso entender como as doenças respiratórias acontecem e principalmente, formas de preveni-las! No Brasil, estima-se que mais de 50 milhões de pessoas sofram com doenças respiratórias, nas mais diferentes gravidades.

Porém, falar de doenças respiratórias é algo muito amplo. Pois estamos falando desde doenças graves, que podem até provocar a morte, até doenças que prejudicam a qualidade de vida apenas.

Por isso, selecionamos as principais doenças respiratórias, as formas como elas acontecem e como preveni-las.

 

Principais doenças respiratórias

 

  • DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica)

A DPOC é uma das mais graves doenças respiratórias. Ela é crônica, irreversível e progressiva. Afeta diretamente os pulmões. A característica principal da DPOC é a destruição de um grande número de alvéolos pulmonares, além de comprometer muitos outros.

A DPOC é muito comum em homens com idade avançada. Além disso, em pessoas que já tiveram tuberculose, ela é mais comumente encontrada.

Tabagismo, fumo passivo ou a exposição contínua a poeira e poluição, estão entre as principais causas. Além disso, há fatores diretamente ligados a questão genética.

 

  • Tuberculose

 

A tuberculose foi uma doença que matou muitas pessoas nos séculos passados. Hoje, ela tem cura, mas ainda é uma doença que debilita muito e que pode ter complicações caso o tratamento não seja adequado. Ela é altamente transmissível e endêmica. Ela é transmitida por uma bactéria, que ataca todo o funcionamento pulmonar.

Baixa imunidade, contato com pessoas doentes ou ambientes contaminados, são as formas mais comuns de transmissão.

 

  • Asma

 

A asma é uma doença crônica e infelizmente não tem uma cura. Porém, ela é totalmente “tratável”. Na verdade, o asmático possui um pulmão “diferente”. Os portadores de asma, uma das doenças respiratórias mais comuns na população em geral, possuem uma maior sensibilidade nos brônquios. Isso faz com que eles reajam com inflamação e crises, a estímulos mais sensíveis.

No caso da asma, há tratamentos para as crises e fora disso, deve-se buscar formas de minimizar justamente os agentes causadores destas. Por isso, para o asmático, o ambiente em que ele vive, é tão importante quanto o tratamento em si. Além disso, em alguns casos, a asma pode também apresentar crises com a ingestão de determinados alimentos. Mas isso depende de cada caso.

 

  • Bronquite

 

A bronquite é outra doença respiratória que causa uma série de problemas para a qualidade de vida dos portadores.

Basicamente, a bronquite é uma inflamação dos brônquios, que pode ter diferentes causas. Mas no geral, ela é causada por vírus e tem como característica, estar muitas vezes ligada a outras doenças, como gripes e resfriados. Existe ainda a bronquite crônica, que já é caracterizada como DPOC.

Em termos de tratamento, ele é feito por vias medicamentosas. Para a prevenção, o ambiente e evitar o contato com outras pessoas doentes, é o principal fator para preveni-las!

 

  • Pneumonia

 

A pneumonia é uma doença respiratória que acomete principalmente os pulmões. De forma mais específica, ela acomete a região dos alvéolos pulmonares. Ali, atacam brônquios e alvéolos e podem se ramificar até os interstícios (espaço entre um alvéolo e outro).

De forma geral, a pneumonia também é causada por vírus e bactérias que estão presentes no ar ou então, pelo contato direto com pessoas que as possuem. O tratamento é medicamentoso e muitas vezes, envolve até internação.

 

  • Doenças alérgicas

 

Há várias doenças respiratórias que são de origem alérgica. Neste caso, inclusive algumas citadas aqui. No caso das doenças alérgicas, a propagação e “ativação” destas doenças, é por causa dos agentes estressores do ambiente.

Muitas vezes, vírus e bactérias que causam tais doenças alérgicas, são transmitidas pelo ar ou pelo contato direto. Por isso, é fundamental buscar formas de preveni-las.

 

São diversas doenças respiratórias, algumas mais brandas, outras mais graves. Porém, saber todas elas nem sempre é necessário, não é?

Porém, quando paramos para analisar todas elas, vemos que em grande parte dos casos, temos um denominador comum: a transmissão pelo ar.

Mas de que maneira podemos evitar o contágio, se não vemos os agentes no ar?

 

 

doenças respiratórias

 

 

Doenças respiratórias, eliminando o denominador comum!

 

Praticamente todas as doenças citadas aqui, tem um ponto em comum: basicamente, a transmissão delas acontece por causa de agentes agressores presentes no ar. Desta maneira, como já sabemos, em termos de doenças, é muito mais fácil prevenir do que tratar.

Por isso, temos que busca eliminar do ar, estes agentes poluentes. Mas como fazer isso, se não conseguimos enxergar os vírus, bactérias, fungos e ácaros? Há algumas formas, mas muitas delas, altamente trabalhosas e nem sempre efetivas.

Por isso, nós temos uma solução simples, fácil e com 99,99% de resolução. Estamos falando do ozônio!

Se as doenças respiratórias são causadas por agentes presentes no ar, por que não eliminá-los? É isso que o ozônio pode fazer!

Se você quer saber mais sobre como o ozônio funciona para esta finalidade, leia este nosso guia completo sobre ozônio.

Em termos práticos, o ozônio vai literalmente, acabar com vírus, bactérias e fungos. Mas para que isso aconteça, precisamos que haja um aparelho gerador de ozônio.

Basicamente, este aparelho irá gerar uma quantidade ideal para cada tipo de ambiente e com isso, eliminar os agentes causadores de doenças respiratórias desta maneira.

Mas como este gerador de ozônio age?

 

Simples, ele utiliza, através de um fenômeno chamado de avalanche de Townsend, para dar descargas elétricas no oxigênio e assim, quebrar uma de suas duas moléculas, criando 3. Com isso, temos um O³.

Essa simples mudança, gera o ozônio. Mas de que forma podemos usar o ozônio para prevenir doenças respiratórias?

 

Como usar o ozônio para prevenir doenças respiratórias?

 

Primeiramente, você precisa de um purificador de ar com ozônio. Existem produtos variados para isso. De acordo com a necessidade de geração de ozônio e o tamanho dos ambientes, temos diferentes modelos. Você pode conferir tudo isso, em nossa loja virtual da Oxi3.

Neste caso, é muito importante buscar o ozonizador mais completo para seu caso. Se você tiver alguma dúvida, basta entrar em contato com nossa equipe por e-mail:

 

Para usar o ozônio para prevenir doenças respiratórias, você deve fazer a oxi-sanitização de ambientes. O processo é muito simples. Para que fique mais claro, vamos pensar em seu quarto.

Você deve deixá-lo totalmente fechado. Ligue o aparelho ozonizador no ambiente e deixe-o agindo por 20 a 30 minutos, dependendo da quantidade de ozônio que ele emite.

Depois deste período, abra o quarto e deixe o ar circular. Pronto! O processo está feito. Você pode fazê-lo diariamente ou então, a cada 2 ou 3 dias.

Além disso, é óbvio que precisamos manter a limpeza do local e manter o ambiente arejado. Porém, com a utilização correta do ozônio, conforme mostrado aqui, teremos um grande resultado!

 

Esta é a forma mais segura e inteligente de evitar os principais causadores das doenças respiratórias. Veja nossa linha de produtos, clicando na imagem abaixo!

 

 

Bons ventos! 

 

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*